IOPANÓICO, ÁCIDO





AVISO SOBRE O ÍNDICE:Esta página fornece informações para esclarecer algumas questões básicas sobre esse ingrediente ativo, medicina, patologia, substâncias ou produtos. Não é exaustivae, portanto, não expõe todas as informações disponíveis não substitui a informação que pode fornecer seu médico.Como a maioria dos medicamentos têm riscos e benefícios. Quaisquer questões adicionais sobre este ou outros medicamentos deve conversando com o seu médico que serve. – Para consultar a literatura clic aquí

IOPANÓICO, ÁCIDO Ações terapêuticas.

Meio de contraste radiológico.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Propriedades.

É um meio de contraste radiológico hidrossolúvel de administração entérica, que é utilizado para visualizar a vesícula e o trato biliar. Contém uma alta proporção de iodo em sua molécula (66,68%). O ácido iopanóico é absorvido por difusão passiva na mucosa gastrintestinal onde é favorecido pelo pH elevado, assim como pelo incremento da solubilidade e da disponibilidade de ácidos biliares. Ingressa na circulação sistêmica pela veia porta hepática, pela qual chega ao fígado. A ligação à albumina é elevada, portanto sua eliminação ocorre principalmente por via biliar. É metabolizada no fígado a glicurônidos que são excretados ativamente nos dutos hepáticos e concentrados na vesícula biliar.O tempo necessário para a máxima opacificação da vesícula biliar é de 14 a 19 horas, embora se costume obter boas imagens a partir das 5 ou 6 horas. A relação eliminação renal: eliminação biliar é de 35:65 para o ácido iopanóico. Apesar de a dose completa ser eliminada em uma semana, segue afetando as provas de função tireóide durante tempo prolongado (até 1 ano). O ácido iopanóico é utilizado em colecistografia oral.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Indicações.

Colescistografia oral.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Posologia.

3 a 6mg com uma refeição sem gordura 14 horas antes da colecistografia. Com as doses maiores podem ser obtidas imagens até 7 dias após a ingestão.

 

Superdosagem.

Apresenta-se disfunção renal moderada, transitória, acompanhada por diarréia severa, náuseas, vômitos intensos, sem que sejam registradas seqüelas permanentes. Tratamento: lavagem gástrica, ingestão abundante de líquidos, alcalinizar a urina, administrar colestiramina, vigiar a pressão sangüínea.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Reações adversas.

As reações adversas severas são extremamente raras. Observam-se principalmente náuseas (10%) e vômitos (1%). Pacientes com bócio multinodular têm sofrido episódios de hipertireoidismo e tormenta tireoideana.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Precauções.

Em pacientes com coronariopatias deve ser controlada a pressão sangüínea após a sua administração. Por não existirem provas conclusivas, recomenda-se não usar em mulheres grávidas a menos que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. A amamentação deve ser suspensa.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Interações.

As resinas (colestiramina) absorvem o ácido iopanóico, produzindo uma falha na visualização; a colestiramina deve ser suspensa durante o tempo suficiente para que seus restos sejam esvaziados do intestino delgado.

 

IOPANÓICO, ÁCIDO Contraindicações.

Falha renal severa e doença hepatorrenal avançada. Transtornos gastrintestinais que evitem sua absorção. Hipersensibilidade aos compostos iodados.



Comparte esta nota:

Comentarios:

Loading Facebook Comments ...
Deja tu comentario
Tu Comentario