DIFLUNISAL





AVISO SOBRE O ÍNDICE:Esta página fornece informações para esclarecer algumas questões básicas sobre esse ingrediente ativo, medicina, patologia, substâncias ou produtos. Não é exaustivae, portanto, não expõe todas as informações disponíveis não substitui a informação que pode fornecer seu médico.Como a maioria dos medicamentos têm riscos e benefícios. Quaisquer questões adicionais sobre este ou outros medicamentos deve conversando com o seu médico que serve. – Para consultar a literatura clic aquí

DIFLUNISAL Ações terapêuticas.

Antiinflamatório, analgésico.

DIFLUNISAL Propriedades.

É um fármaco com ações antiinflamatória, analgésica e antipirética. Age em nível periférico e não possui ações narcóticas. Sua estrutura é não-esteróide e corresponde a um difluorofenil derivado do ácido salicílico. Seu mecanismo de ação é a inibição da síntese de prostaglandinas, podendo interferir nas ações dessas substâncias nos tecidos periféricos. O diflunisal é rapidamente absorvido após administração oral, o pico plasmático observa-se após 2-3 horas, circula no plasma ligado a proteínas em 99%. A farmacocinética depende da concentração, razão pela qual uma duplicação da dose provoca o dobro de incremento nas concentrações plasmáticas.Noventa porcento da dose administrada são excretados na urina como glucurônidos. O diflunisal possui ação analgésica prolongada que começa uma hora após a administração e atinge seu efeito analgésico máximo em 2-3 horas. Para acelerar o início da ação é recomendável a administração de uma dose de carga. O diflunisal provoca menos efeitos adversos que o ácido acetilsalicílico no tratamento crônico da osteoartrite e da artrite reumatóide; nesses casos observa-se que não existe um incremento da perda de sangue fecal. Possui efeito uricosúrico. Também possui um leve efeito sobre a função plaquetária, cuja inibição reversível ocorre com doses de 1.000mg duas vezes ao dia, os quais superam a dose recomendada.

DIFLUNISAL Indicações.

Artrose. Reumatismo extra-articular. Artrite reumatóide. Isoladamente ou como coadjuvante no tratamento da dismenorréia e da gota.

DIFLUNISAL Posologia.

Dor suave e moderada: dose de carga de 1.000mg, seguida de 500mg cada 8-12 horas. Osteoartrite e artrite reumatóide: 500 a 1.000mg/dia em duas tomadas. Doses de manutenção superiores a 1.500mg/dia não são recomendadas.

DIFLUNISAL Superdosagem.

A superdose de diflunisal pode conduzir à morte. Sintomas de superdose: tonturas, vômitos, náuseas, adormecimento, diarréia, sudorese, tinitus, desorientação, estupor e coma.

 

DIFLUNISAL Reações adversas.

Náuseas, vômitos, dispepsia, dor gastrintestinal, diarréia, constipação e flatulência. Sonolência, insônia, tonturas, tinitus, erupções, dor de cabeça, fadiga, cansaço. Em menos de 1% dos pacientes observam-se urticária, prurido, eritema multiforme, sangramento gastrintestinal, úlcera péptica, anorexia, icterícia, hepatite, colestase, trombocitopenia, agranulocitose, anemia hemolítica, disúria, falha renal, hematúria, proteinúria, alucinações, confusão, vertigem, parestesias, reações anafiláticas agudas, astenia, edema.

DIFLUNISAL Precauções.

Os antiinflamatórios não-esteroidais podem mascarar os sinais e sintomas de infecção. Podem produzir edema periférico, razão pela qual devem ser utilizados com precaução em pacientes com função cardíaca comprometida ou hipertensão. O diflunisal foi associado com o aparecimento de uma síndrome de hipersensibilidade severa, que inclui febre, calafrios, icterícia, mudanças na função hepática, trombocitopenia, leucopenia, eosinofilia, coagulação intravascular disseminada, falha renal; se houver sinais de hipersensibilidade, o tratamento com diflunisal deve ser suspenso imediatamente. Pode provocar úlcera gastroduodenal e hemorragias digestivas.Seu uso durante o terceiro trimestre da gravidez não é recomendado. O aleitamento deve ser suspenso. A segurança e a eficácia do fármaco em crianças menores de 12 anos não foram estabelecidas.

DIFLUNISAL Interações.

Anticoagulantes orais: aumento do tempo de protrombina. O diflunisal diminui a ação diurética da hidroclorotiazida e a hiperuricêmica da furosemida. Os antiácidos podem reduzir a absorção do diflunisal e o diflunisal provoca uma duplicação da concentração plasmática de paracetamol, com o conseguinte aumento da sua toxicidade hepática. A excreção renal do metotrexato fica reduzida devido ao diflunisal, com o conseguinte aumento de concentração e efeitos tóxicos do metotrexato. A toxicidade renal da ciclosporina pode ser incrementada no paciente que recebe diflunisal. Indometacina: diminui a eliminação em presença do diflunisal; foram registrados casos de hemorragia gástrica fatal durante administração combinada.

DIFLUNISAL Contraindicações.

Hipersensibilidade ao diflunisal. Pacientes nos quais os AINE tenham provocado ataque agudo de asma, urticária ou rinite. Úlcera gastroduodenal ativa. Insuficiência hepática.



  • mecanismo de ação do diflunisal
  • diflunisal mecanismo de açao
  • diflunisal

  • diflunisal farmacocinética
  • diflunisal posologia
  • novedades android

Comentarios:

Loading Facebook Comments ...
Deja tu comentario
Tu Comentario