FLUOXIMESTERONA





AVISO SOBRE O ÍNDICE:Esta página fornece informações para esclarecer algumas questões básicas sobre esse ingrediente ativo, medicina, patologia, substâncias ou produtos. Não é exaustivae, portanto, não expõe todas as informações disponíveis não substitui a informação que pode fornecer seu médico.Como a maioria dos medicamentos têm riscos e benefícios. Quaisquer questões adicionais sobre este ou outros medicamentos deve conversando com o seu médico que serve. – Para consultar a literatura clic aquí

 

FLUOXIMESTERONA Ações terapêuticas.

Androgênico. Antineoplásico.

 

FLUOXIMESTERONA Propriedades.

É um androgênio que estimula a atividade da polimerase do ácido ribonucléico (RNA) e a síntese específica de RNA, aumentando a síntese protéica. Na maioria dos tecidos-alvo converte-se em 5-alfa-hidrotestosterona, que inibe a liberação dos hormônios libertadores de gonadotrofinas, luteinizante e folículo-estimulante, mediante um mecanismo de retroalimentação negativa sobre o hipotálamo e a hipófise anterior. A fluoximesterona liga-se em grande proporção às proteínas plasmáticas e metaboliza-se no fígado; aproximadamente menos de 5% são excretados pela urina como esteróide livre e conjugado com ácido glicurônico durante um período de 24 horas após uma dose de 20 a 200mg.

 

FLUOXIMESTERONA Indicações.

Deficiência androgênica, retardamento da puberdade em pacientes do sexo masculino, carcinoma da mama, congestão mamária pós-parto.

 

FLUOXIMESTERONA Posologia.

Dose habitual para o adulto. Androgênico para a congestão mamária pós-parto: inicialmente 2,5mg administrados pouco depois do parto, seguidos de 5 a 10mg ao dia em várias doses durante quatro a cinco dias. Tratamento de substituição: oral, 5mg uma a quatro vezes ao dia. Antineoplásico. Câncer de mama não-operável em mulheres: oral, 2,5 a 10mg quatro vezes ao dia. Doses pediátricas habituais. Puberdade retardada em paciente do sexo masculino: oral, 2,5 a 10mg ao dia durante um período limitado, em geral quatro a seis meses.

 

FLUOXIMESTERONA Reações adversas.

Em mulheres: acne ou dermatite seborréica, hipertrofia do clitóris, alopecia, hirsutismo, rouquidão ou voz grave, dismenorréia. Em homens: ereção contínua ou freqüente, poliaciúria, inchaço ou sensibilização das mamas. Os efeitos secundários são de menor incidência e podem ser observados tanto em homens como em mulheres: alterações na cor da pele, confusão ou sensação de falta de ar, tonturas, cefaléia, cansaço não-habitual, sufocação ou avermelhamento da pele, depressão mental, náuseas ou vômitos, rash cutâneo ou prurido, edemas periféricos, hemorragias não-habituais, cor amarela nos olhos ou na pele.

 

FLUOXIMESTERONA Precauções.

O uso prolongado e as altas doses foram associados com o desenvolvimento de neoplasias hepáticas. Recomenda-se não utilizá-la durante a gravidez, pois produz masculinação dos genitais externos dos fetos femininos, com clitorimegalia, desenvolvimento vaginal anormal e fusão das pregas genitais para formar uma estrutura semelhante ao escroto. O grau de masculinização está relacionado com a dose administrada e com a idade do feto: é mais provável que esses efeitos ocorram quando a fluoximesterona é administrada durante o primeiro trimestre da gravidez. O tratamento com doses elevadas pode produzir oligospermia, com possível infertilidade nos homens; a fertilidade reaparece quando cessa a terapia em doses elevadas. Desconhece-se se ocorre excreção no leite materno; no entanto, existe um possível risco de efeitos adversos nos lactentes, como desenvolvimento sexual precoce nos de sexo masculino e virilização nos de sexo feminino.Deve ser usada com precaução nas crianças pré-púberes devido ao possível fechamento prematuro das epífises em meninos e meninas, ou a um desenvolvimento sexual precoce em meninos. Em pacientes de sexo masculino e idade avançada pode aumentar o risco de hipertrofia prostática ou de carcinoma de próstata.

 

FLUOXIMESTERONA Interações

.

Corticosteróides (especialmente aqueles com marcada atividade mineralocorticóide), medicamentos ou alimentos que contenham sódio, anticoagulantes derivados da cumarina ou da indandiona, hipoglicemiantes orais ou insulina, ciclosporina, somatreno, somatotrofina.

 

FLUOXIMESTERONA Contraindicações.

Não administrar em presença de câncer de mama em homens, câncer de próstata diagnosticado ou suspeito. A relação risco-benefício deve ser avaliada em cardiopatia isquêmica, insuficiência cardíaca, hepática ou renal, diabetes mellitus, edema, hipercalcemia, nefrose ou nefrite e hipertrofia prostática benigna com sintomas obstrutivos.



  • fluoximesterona bula

  • Fluoximesterona (Oral)
  • para que serve fluoximesterona
  • clitorimegalia
  • fluoximesterona

  • novedades android
Comparte esta nota:

Comentarios:

Loading Facebook Comments ...
Deja tu comentario
Tu Comentario