DIPIVEFRINA





AVISO SOBRE O ÍNDICE:Esta página fornece informações para esclarecer algumas questões básicas sobre esse ingrediente ativo, medicina, patologia, substâncias ou produtos. Não é exaustivae, portanto, não expõe todas as informações disponíveis não substitui a informação que pode fornecer seu médico.Como a maioria dos medicamentos têm riscos e benefícios. Quaisquer questões adicionais sobre este ou outros medicamentos deve conversando com o seu médico que serve. – Para consultar a literatura clic aquí

DIPIVEFRINA Ações terapêuticas.

Antiglaucomatoso.

DIPIVEFRINA Propriedades.

A dipivefrina é um pró-fármaco da adrenalina que, devido a sua elevada lipossolubilidade, pode penetrar na câmara anterior do olho, onde é biotransformada em adrenalina por hidrólise enzimática. A adrenalina liberada pode então exercer sua ação, com a qual diminui a produção do humor aquoso ou aumenta a sua eliminação, com menos reações adversas do que se fosse instilado um colírio com adrenalina no olho. Em estudos clínicos foi observado que somente 3% dos pacientes que tinham antecedentes de intolerância à adrenalina também a apresentavam com a dipivefrina, enquanto que em um grupo controle, que recebeu adrenalina a 2%, 55% voltou a desenvolver intolerância. A resposta terapêutica dos pacientes à dipivefrina, duas vezes por dia, é comparável à pilocarpina a 2% administrada quatro vezes po dia.

DIPIVEFRINA Indicações.

Hipertensão ocular no glaucoma crônico de ângulo aberto. Glaucoma.

DIPIVEFRINA Posologia.

No tratamento do glaucoma: uma gota de solução de cloridrato de dipivefrina a 0,1% no olho cada 12 horas. Em terapia de substituição: durante 1 dia continuar a medicação anterior e adicionar 1 gota em cada olho a cada 12 horas; no dia seguinte suspender o medicamento antiglaucomatoso prévio e continuar a dipivefrina. Administração simultânea: pode ser adicionado (uma gota a cada 12 horas) a outros agentes antiglaucomatosos como o timolol, a pilocarpina, o carbacol e a acetazolamida, para incrementar o efeito terapêutico. Compatibilidade: pode ser utilizado em pacientes que usam lentes de contato moles.

DIPIVEFRINA Reações adversas.

Ardor, prurido, injeção conjuntival. Seria possível encontrar efeitos devidos à adrenalina liberada: taquicardia, arritmias, hipertensão, depósitos adenocromos na córnea e na conjuntiva.

DIPIVEFRINA Precauções.

Foi observado edema macular em pacientes afáquicos tratados com adrenalina por via ocular; a suspensão da medicação permite geralmente a reversão da maculopatia. Não foi estabelecido se a dipivefrina passa ao leite ou se tem algum efeito sobre o feto; utilizar somente em casos de necessidade evidente.

DIPIVEFRINA Interações.

Não associar com adrenalina.

DIPIVEFRINA Contraindicações.

Não deve ser empregado em pacientes com glaucoma agudo ou crônico de ângulo fechado



  • o que são medicamentos antiglaucomatoso
  • epinefrina dipivefrina
  • dipivefrina

  • policarpina
  • DIPIVEFRINA efeitos
  • novedades android
Comparte esta nota:

Comentarios:

Loading Facebook Comments ...
Deja tu comentario
Tu Comentario