DAPSONA





AVISO SOBRE O ÍNDICE:Esta página fornece informações para esclarecer algumas questões básicas sobre esse ingrediente ativo, medicina, patologia, substâncias ou produtos. Não é exaustivae, portanto, não expõe todas as informações disponíveis não substitui a informação que pode fornecer seu médico.Como a maioria dos medicamentos têm riscos e benefícios. Quaisquer questões adicionais sobre este ou outros medicamentos deve conversando com o seu médico que serve. – Para consultar a literatura clic aquí-

DAPSONA Ações terapêuticas.

Antibacteriano, antiparasitário e antileproso.

DAPSONA Propriedades.

Quando administrada por via oral, a dapsona é rapidamente absorvida; a excreção é lenta. O mecanismo de ação em dermatite herpetiforme é desconhecido. É bacteriostática e bactericida contra o Mycobacterium leprae.

DAPSONA Indicações.

Dermatite herpetiforme. Todas as formas de lepra, exceto as resistentes à dapsona. Como coadjuvante no tratamento da artrite reumatóide refratária ao tratamento convencional.

DAPSONA Posologia.

Dermatite herpetiforme: em adultos iniciar com 50mg diários (em crianças a dose é menor), que devem ser aumentadas até conseguir a dose ótima. A dose de manutenção deve ser a mais baixa possível com efeitos terapêuticos. Lepra: em pacientes com doença indeterminada e tuberculose negativa, 100mg diários, sem interrupção; segundo recomendações da OMS a administração de dapsona deve ser instituída em combinação com outros quimioterápicos para reduzir a aparição de resistência secundária. Recomenda-se utilizar 600mg diários de rifampicina durante seis meses e depois continuar com dapsona até que os sinais clínicos tenham sido controlados (geralmente mais seis meses). Em pacientes lepromatosos os 100mg diários de dapsona devem ser acompanhados por 600mg diários de rifampicina durante dois anos. O médico pode optar por administrar um terceiro antileproso, como a clofazamina (50-100mg/dia) ou a etionamida (250-500mg/dia).A administração da dapsona geralmente prolonga-se entre 3 e 10 anos até que todos os sinais clínicos de atividade se mantenham negativos pelo menos durante um ano. Nesses pacientes a dapsona deveria continuar-se pelo resto da vida.

DAPSONA Superdosagem.

Náuseas, vômitos e hiperexcitabilidade, que aparecem entre uns minutos e 24 horas após a ingestão. A depressão induzida pela meta-hemoglobinemia, as convulsões e a cianose severa requerem tratamento rápido.

DAPSONA Reações adversas.

Hemólise, meta-hemoglobinemia. Raramente: neuropatia periférica, nesse caso a administração deve ser suspensa. Náuseas, vômitos, dor abdominal, pancreatite, vertigem, visão turva, insônia, febre, dor de cabeça; também nesses casos convém suspender o fármaco.

DAPSONA Precauções.

O paciente deve ser instruído para que avise se aparecerem sinais clínicos como dor de garganta, febre, palidez ou icterícia; foram registradas mortes associadas com dapsona, devidas a agranulocitose, anemia aplásica e outras discrasias sangüíneas. Não utilizar em mulheres grávidas, a menos que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. A lactação deve ser suspensa antes que a mãe receba dapsona.

DAPSONA Interações.

A rifampicina provoca diminuição de até 10 vezes os níveis séricos de dapsona; não obstante, no tratamento da lepra não foi necessário modificar as doses administradas. Os antagonistas do ácido fólico (pirimetamina) aumentam a probabilidade de que ocorram reações adversas.

DAPSONA Contraindicações.

Hipersensibilidade à dapsona e a seus derivados.



  • para que serve dapsona

  • pra que serve dapsona
  • dapsona pra que serve
  • para que serve a dapsona
  • dapsona para que serve

  • novedades android
Comparte esta nota:

Comentarios:

Loading Facebook Comments ...
Deja tu comentario
Tu Comentario